LABOR(ÓCIO), 2014

perfotmance

Esta performance versa sobre alteração da percepção temporal dos sujeitos que vivem nas grandes metrópoles. Uma vez condicionados com o ritmo do trabalho é comum terem como efeito colateral a aceleração de outras atividades que vivenciam, impossibilitando a existência do ócio – atividade que motiva o pensamento e a ação criativa. Para experienciar esta ideia, a performer, se confronta com a tarefa de escrever os pensamentos que pairam no instante presente, guiado pelo caminhar de uma formiga (retirada no dia/local da performance).